Como matar um bar

Dois dos mais admiráveis botecos nos quais tomava-se chope de primeira linha nesta cidade estão sendo assassinados. Ontem eu vi, meninos, e conto-lhes o modus operandi desses dois crimes.
Primeiro, submeta-se à exigência da cervejaria e troque a marca do chope. A bebida ficará pior, o creme que cobria o líquido vai tornar-se uma espuma seca, porosa, sem graça. Esse é o estado atual de um deles, que, prestes a completar 40 anos, já não era o mesmo, dizem os mais assíduos, desde que o garçom da casa, um lorde, aposentou-se, morrendo logo em seguida.
Outra opção – a que acontece com o outro moribundo e com tantos mais – é comprar um bar que você admire e transformar o seu prazer em negócio. Passe de freguês a dono. Em vez de preocupar-se em escolher a melhor mesa ou em saber da saideira, comece a lidar com dinheiro, fornecedores, clientes. Troque a decoração antiga pela “à moda antiga”.
Deixe que os tiradores de chope, da segunda geração no ofício de manusear a máquina (esta com quase oito décadas de atividade), peçam demissão. Melhor, demita-os.
Instale uma TV e telas de plasma – ou LCD, nunca se sabe ao certo –nas paredes e mantenha ao menos um desses aparelhos ligados o tempo todo em canais de futebol.
Convide um casal para interpretar MPB ao vivo, voz, microfone, violão e uma caixa de som, em um canto do salão e não ligue se a letra de um samba de Cartola sair errada. Uma noite de música no meio da semana será o suficiente.
Pago um chope a quem não souber que bares são esses.

Advertisements

8 thoughts on “Como matar um bar

  1. diga logo, meu caro, em que lugar os hereges estão avançando (tenho a impressão que estão cada vez em maior número, por todos os lados)

    Like

  2. Caro José Maria,Como tenho a esperança de que os dois bares renasçam, reservo-me o direito de manter o sigilo. Só posso acrescentar que ficam próximos um do outro, na região sul da cidade.Abraços,Miguel

    Like

  3. E o outro espero que não seja o Ilhabela… faz tempo que não passo por lá. O Zur Alten Mühle, apesar de ter sido obrigado a trocar a Antarctica pela Brahma, continua impecável.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s