O chope Guinness sumiu!

“Por problemas de importação, não podemos servi-lo chope Guinness, Old Speckled Hen e Newcastle. Agradecemos a preferência e informamos que a previsão de volta [sic] é para próxima semana. Obrigado pela compreensão.”

Até a tarde deste domingo, pelo menos, a advertência acima ainda aparecia em um recorte de papel anexado ao cardápio do Drake’s Pub, conforme pude conferir, assim que o garçom me entregou o cardápio. Ao perguntar à funcionária do caixa mais detalhes sobre a falta da irlandesa Guinness — os fregueses, de repente, pegaram o patrão de surpresa? Ele está em dívida com o importador? As fontes de água na Irlanda congelaram? — o máximo que ela soube dizer é que fazia cerca de quinze dias que os barris da bebida não chegavam ao estabelecimento.

Intrigado, hoje resolvi ligar para outros bares, a fim de saber se a história se repetia: no Frangó, desde a terceira semana de janeiro as torneiras de Guinness estão secas. No Finnegan’s, a estiagem já dura três semanas. O que estaria acontecendo, afinal?

Uma breve oração a Saint Patrick, o padroeiro dos beberrões irlandeses, e ele me trouxe a luz: após dar dois ou três telefonemas, consegui falar com Daniel Mourão, responsável no Brasil pela área de marketing da Guinness na Diageo, a multinacional que controla a marca. Segundo ele, o desabastecimento, digamos assim, do chope se deve às recentes mudanças no sistema de cobrança de impostos sobre a importação de cerveja. “Tivemos problemas internos para nos adaptarmos aos novos trâmites”, disse Mourão a este blogueiro. “Além disso, a procura pela cerveja aumentou”.

A bem da verdade, importar cervejas, vinhos ou qualquer outro produto semelhante não é tarefa fácil. No caso de Guinness, o processo pode levar até quatro meses, garante Mourão. O transporte dos barris leva três semanas desde a Europa até o porto de Santos. Já no Brasil, o processo de liberação do produto – perecível, é bom lembrar – dura de dois a três meses, em média. Fosse uma cerveja do tipo pilsen, estaria imprestável para o consumo.

Segundo a Diageo, até o fim de fevereiro todos os 120 pontos de venda de chope Guinness no Brasil deverão estar com o abastecimento normalizado. Promessa feita a Saint Patrick, que tem seu dia celebrado em 17 de março.

Atualização feita às 15h18 de terça-feira, 10 de fevereiro:

PS: o primeiro carregamento de Guinness, que chegou ao porto de Santos em 7 de janeiro, ainda está embaraçado

6 thoughts on “O chope Guinness sumiu!

  1. É Miguel, essa seca da Guinness esta fazendo uns estragos para nós fieis desse santo remédio irlandes.A situação aqui no Rio esta tensa, não se acha A irlandesa não esta sendo localizada em nenhum lugar, ja procurei até em lojas de cds, vai que ela esta atra do cd do U2!Minha situação é triste se você souber sobre a situação aqui pro Rio me da um toque. vlw?Abraço

    Like

  2. Caro Leonardo,se eu conseguir sair da redação em tempo de tomar uma Guinness neste St. Patrick’s Day, farei uma oraçãom, rezarei Pai Nosso e Ave Maria e pedirei que não falte mais Guinness nos nossos copos.Abraço e volte sempre.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s