A lei antifumo e o jeitinho alemão

Domingão tem São Paulo e Corinthians, a crise ainda taí, as paulistanas continuam lindas mas, nesta semana, o assunto que entrou na pauta dos filósofos e desiludidos de botequim foi mesmo a tal lei antifumo baixada pelo governador José Serra.

Já escrevi uma vez neste blog sobre o quanto fico irritado quando saio de um bar e percebo que estou, inteirinho, cheirando a tabaco. Razão pela qual defendo, obviamente, a criação de fumódromos nesses locais. Se você que me lê é fumante, acho justíssimo o seu direito de acender um cigarro – longe, bem longe de mim e de quem não fuma.

Leis como essa não são novidade, bem lembra a reportagem na VEJA desta semana. Desde 2007 o cigarro está proibido nos pubs londrinos, nos cafés de Paris e em bares alemães. Como na Europa o respeito às leis é, digamos, maior do que no Brasil, já que muita gente sabe que pode ir para a cadeia por pouco, não se veem mais fumantes em lugares fechados.

Maaasss… Se por aqui ainda não foi descoberta nenhuma brecha na lei Xô, Fumaça do Serra, os frequentadores do Dreyer, em Hamburgo, deram um jeitinho para continuar dando suas pitadas no ponto de encontro de todas as noites.

Esse botecão tornou-se a sede de um certo “Clube da Fraternidade Entre os Povos”. Diz a lei tedesca que algumas entidades privadas estão desobrigadas de vetar o cigarro. Ocorre mais ou menos o seguinte: fumar no bar, não pode. Num clube, tudo bem. Logo, o Dreyer cumpre a lei e mantém a freguesia satisfeita.

Tornei-me sócio do tal Clube – depois de pagar a taxa de adesão de 1 Euro e de não ter levado bola preta – no mesmo dia em que estive lá: 23 de julho de 2008. Antes que me acusem de demagogia, afinal não sou fumante, digo que o fiz simplesmente para fincar minha bandeira num dos mais autênticos knipes hamburgueses.

Fundado em 1923 no bairro de Saint Pauli (a Vila Madalena de lá), o Dreyer tem essa carona de pub aí da foto acima. As paredes e alguns armários expõem uma coleção de 160 relógios. A cozinha, por sua vez, prepara um genuíno frikadelle. Trata-se de um bolinho de carne frito, temperado com cebola, ervas e manteiga, do tamanho de um bifão de hambúrguer.

Nas duas ou três primeiras mordidas, estranhei um pouco, porque o negócio me foi servido completamente gelado. Disse-me uma amiga, porém, que é assim mesmo. Segui adiante, temperando com mostarda escura, intercalando uns goles de cerveja. E fumando um cigarrinho por tabela.

Dreyer. Martin Luther Strasse, 4, tel. (00XX49) 040-36090553, Hamburgo, Alemanha.

8 thoughts on “A lei antifumo e o jeitinho alemão

  1. Em Dublin são muito comuns os “beer gardens”, que são espaços dentro dos pubs, às vezes abertos, onde os fumantes podem ficar… Por ser aberto, até quem não fuma pode dar uma passadinha por lá sem ficar com cheiro de fumaça… A integração é bem maior. E no inverno tem aquecedores.. Gostei muito. Patrícia Escobar – não fumante, mas com vários amigos que fumam.

    Like

  2. É tenso, Miguel. Acho que em aspecto geral, se o nossa amado pais não fosse o pais do geitinho e da infinitas leis que não colam e que não dão certo, eu com toda a minha certeza/cerveja e convicção, acho que essa lei daria certo. Digo ja um tanto tarde que não sou fumante, e acho essas leis meio que um geito escroto dos países se retartarem com as pessoas que fumam, já que elas deixaram esse mal de embrenhar pelas tripas de vosso mundo. No final o que fazer, aturar.P.s: Ainda estou na seca de Guinness, sera que num tem como tu me mandar uma Guinness por Sedex não?hahahaP.s2: se puder ve o meu blog..Abração

    Like

  3. Salve, Leonardo!Por aqui não falta Guinness, mas não sobra tempo para postar mais textos. Nem mesmo para visitar novos e velhos bares. Espero voltar a ser mais assíduo. Vou lá no seu blog sim. Valeu!

    Like

  4. Fiscalização contra o cigarro???!!!!No último domingo, meu namorado e eu chegamos por volta das 19 horas em nosso apartamento, bem próximo ao shopping Paulista. Eis que havia um sujeito fumando crack bem na nossa porta. Imediatamente ligamos ao 190 e pedimos uma viatura, que obviamente não apareceu… Fumar crack pode. Cigarro nem pensar…Me poupe!

    Like

  5. Que legal que vc. foi a Alemanha e viu o tal “jeitinho” que eles deram por lá.
    Mas o fato, puro e simples, é que PODE haver bares para fumantes desde que isso esteja bem claro e ai vai nesses bares quem quer, quem não quer não é obrigado a ir, não é?
    E aqui pode ter um nome bacana tambem, tipo: Clube da Fraternidade dos Fumantes.
    Só algumas dúvidas: Aqui em Sampa voce não suporta cigarro e la na Alemanha voce suportou?
    E lá quando voce entrou na tal Fraternidade…todo mundo saiu para fumar lá fora, porque voce não fuma?
    Me P O U P E !!!! (2)

    Like

    • Antenor,

      Continuo detestando ter de dividir o mesmo espaço no bar com quem é fumante. Minha opinião continua sendo a mesma. Sugiro que acenda o seu Marlboro e releia o texto sobre o bar de Hamburgo. Trata-se a meu ver, apenas, de uma boa história e não um libelo pró ou contra o tabagismo. Espero te-lo poupado (1) e (2).

      Cordialmente,
      Miguel

      Like

  6. E mais: Aqui voce não suporta sair impregnado com o cheiro do cigarro e lá, voce saiu perfumado com o cheiro do cigarro alemão?
    E lá voce foi OBRIGADO a ir na tal Fraternidade?
    E quando voce quis sair, por acaso alguem lhe falou: NÃO SAIA AGORA, POIS É PROIBIDO! VOCE AINDA NÃO ESTA IMPREGNADO O SUFICIENTE!!!
    Me P O U P E !!!! (3)

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s