Sobre chope e vinho

– Cara, olha isso! Quantos bares abertos! E ainda é terça-feira!

As exclamações acima foram ditas a este blogueiro, “ao vivo”, por Dirceu Vianna Jr. (na foto acima), o primeiro brasileiro a receber o título de Master of Wine na Inglaterra (o contexto das exclamações eu explico já, já). Convidado para comandar uma degustação na Expovinis, feira de vinhos que se encerrou ontem no Transamérica Expo, Vianna vive na Grã-Bretanha há duas décadas.

Para ter uma ideia da façanha do paranaense, basta dizer que existem menos de 300 masters of wine no planeta. Ele alcançou o título após passar os últimos doze anos estudando tudo o que diz respeito ao vinho. Se fizermos uma comparação, esse é o tempo que alguém que deseja seguir a área acadêmica leva para concluir a graduação, o mestrado e o doutorado.

Conheci Dirceu já no apagar das luzes do primeiro dia da Expovinis. Sobre o evento, disse-me que achou o nível altíssimo, tanto no que diz respeito à organização quanto à qualidade das bebidas apresentadas e ao portfólio dos expositores e importadores. Queixou-se apenas sobre o cigarro – fosse na Europa, seria proibido fumar. Faz sentido, afinal uma degustação de vinho passa pelos exames visual, olfativo e, aí sim, de paladar. (Que o Serra não nos ouça)

Como ele teria não mais que duas horas livres por aqui, já que no dia seguinte embarcaria para Londres, sugeri que esquecêssemos um pouco de vinho e fôssemos tomar um chope. De pronto aceitou o convite e também juntou-se a nós o jornalista Nuno Vaz Pires, diretor da belíssima revista portuguesa Wine.

Seguimos para a Vila Madalena e, mal estacionamos o carro na Rua Mourato Coelho, o neolondrino Vianna já arregalou os olhos com a movimentação do Posto 6, do Boteco São Bento e da Costelaria Patriarca. Torcedor do Arsenal e morador do norte de Londres, costuma cruzar com vizinhos como Rod Stewart e um dos caras do Oasis nos pubs perto de sua casa, no norte da cidade.

Paramos primeiro no São Cristóvão para tentar comer uma alheira (Nuno imediatamente aprovou) e tomar um chopinho. Não havia mesas livres, por isso nos acomodamos na quina do balcão, ao lado da chopeira. Com tantos quadrinhos e fotos antigas de times e jogadores de futebol cobrindo as paredes, Vianna não sabia para onde olhar.

– São Paulo é demais! São Paulo é demais! A essa hora Londres já está dormindo.

Era quase meia-noite e, como não havia lugar para sentarmos, caminhamos um quarteirão e meio até o Filial. Fomos recebidos pelo Ailton – sim, ele voltou mesmo! –, que imediatamente nos colocou numa mesinha bem bacana. Mais uma rodada de chope, duas canecas de caldinho de feijão, uma porção de bolinho de carne seca, dois espetos de picanha e uma dose da cachaça Claudionor.

– Bem aromática! – desta vez o comentário foi de Nuno, torcedor do Porto.

Contava-lhes rapidamente que o Filial costuma resistir até 4, 5 da manhã, ainda que não seja um fim de semana, quando chegaram dois distintíssimos exemplares da beleza paulistana e sentaram-se em banquetas ao lado do balcão. Ailton ganhou beijinhos no rosto e duas caldeiretas imediatamente desceram à frente das moças.

Era apenas mais uma terça-feira em São Paulo.

Filial. Rua Fidalga, 254, Vila Madalena, tel. 3813-9226.

São Cristóvão. Rua Aspicuelta, 533, Vila Madalena, tel. 3097-9904.

4 thoughts on “Sobre chope e vinho

  1. Gostaria de ver a extensão desta proposta a outras cidades do Brasil, sou paulista de nascimento, criação e formação, mas estou a menos de 1 ano em BH. Tem muita coisa boa aqui que valeria a pena tb ser comentada.Existe planos deste crescimento?

    Like

  2. Queria ser esse garçom..ehehe! E mais uma vez venho reclamar, não existem eventos deste nivel no Rio,e nem Guinness, e muito menos masters of wine, mas acho que os distintíssimos exemplares de beleza carioca são melhor que os de São…ehehehe

    Like

  3. Olá, André. A que proposta você se refere? À Expovinis? Bom, algumas importadoras costumam realizar eventos, como feiras e degustações, em algumas capitais do país. Pelo menos foi o que vi, até o ano passado. Como a crise econômica afetou o mercado de vinhos, não sei dizer se este ano teremos alguma coisa fora de SP, que é o maior mercado consumidor do país. Ainda assim, a Vinci, por exemplo, programou dois eventos, em que serão reunidos 180 de seus produtores, para o Rio de Janeiro (18 de maio) e São Paulo (19 e 20). Informações no http://www.vincivinhos.com.br/vinivinci.Abraços.

    Like

  4. Olá, Leonardo.Permita-me ver as coisas de um outro ponto de vista. Por ter o maior PIB do país, a maior quantidade de vagas, o mais importante centro gastronômico etc do país, São Paulo acaba recebendo gente do Brasil inteiro. Aqui vivem paulistanas, mineiras, gaúchas, goianas, pernambucanas e cariocas. Logo, você ainda tem alguma dúvida sobre qual seja a cidade com mais exemplares de beleza? Saúde!

    Like

Leave a Reply to Leonardo Dias Cancel reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s