Santiago parte 1: os vinhos

Cinco dias e quatro noites não são suficientes para explorar uma cidade como Santiago, capital do Chile. Mas era o tempo que eu tinha e, ainda em São Paulo, tratei de planejar minimamente a viagem. Recolhi algumas dicas com amigos generosos – valeu, Humberto e Adames –, comprei duas ótimas edições especiais da revista Viagem e Turismo (uma sobre a cidade e outra tratando de todo o país), contatei duas vinícolas e embarquei no voo Buenos Aires-Santiago da Aerolíneas Argentinas.

A visão da Cordilheira dos Andes, através da janelinha da aeronave, é uma experiência que faz o coração acelerar. Assustadora – tentei lembrar-me do filme, acho que do fim dos anos 70, que narrava a história de um desastre aéreo na região, mas não consegui – e de uma beleza espetacular, a travessia sobre aquele interminável lençol de neve me marcou mais, certamente, que o sobrevoo sobre os Alpes, seis anos atrás.

Dali a dois dias eu tentaria esquiar pela primeira vez sobre a neve da estação de El Colorado (ninguém precisa saber qual foi meu desempenho, certo?), mas no dia do desembarque em Santiago, faminto, fiquei satisfeito ao saber que o Liguria, uma das dicas gastronômicas recebidas, estava localizado a poucas quadras do hotel – aliás, um achado. Chama-se Meridiano Sur, foi aberto há seis meses, tem apenas oito quartos e ocupa um casarão de três pisos no bairro da Providencia (diárias a partir de 108 dólares).

O Liguria é um lugar tão clássico quanto turístico. De seus vários ambientes, dois são particularmente bacanas. O dos fundos, de pé-direito colossal, tem a parede revestida por quadros e desenhos coloridos. Tem um ar vintage e me fez lembrar alguns sobrados do interior, obviamente, da Itália. Já no salão do bar, salta à vista um lindo balcão de traçado sinuoso, talhado em madeira escura. Seguindo seu contorno, banquetas altas acomodam confortavelmente quem para por ali para tomar um drinque.

Liguria: belíssimo salão

Liguria: belíssimo salão

Como era hora do almoço, acomodei-me na saleta lateral, destinada aos não-fumantes. Uma taça de Los Vascos Cabernet Sauvignon, acho que da safra 2006, e uma milanesa de porco deixaram uma excelente primeira impressão da cidade. Os preços de uma refeição, convém dizer, são equivalentes aos de São Paulo, com a diferença de que os vinhos, mesmo em taça, custam no máximo a metade do preço que no Brasil…

Por falar em vinho, dediquei boa parte da programação à visita de duas vinícolas. Primeiro, conheci a pequena porém belíssima Viña Aquitania, representada no Brasil pela importadora Zahil, e que produz, entre outros rótulos, o Sol de Sol, um dos melhores brancos do Novo Mundo.

Viña Aquitania: ao pé dos Andes

Viña Aquitania: ao pé dos Andes

Curioso imaginar, mas as instalações santiaguinas da vinícola ocupam 18 hectares dentro da capital chilena, a 20 minutos de metrô e 10 de táxi, a partir de Providencia. Aos pés da Cordilheira, é um passeio altamente recomendado para uma manhã ensolarada. Após uma hora e meia de caminhada pelos vinhedos, a cantina e as demais áreas de produção, a visita termina numa degustação da bebida, ao ar livre.

Dois dias depois, tomei um trem – a Cordilheira dos Andes, à direita, é companheira por boa parte da hora e meia de viagem – rumo à cidade de San Fernando, para conhecer a Santa Helena, segunda maior exportadora de vinhos chilenos para o Brasil, cujos rótulos são distribuídos no nosso mercado pela Interfood. Gigante, a vinícola se espalha por terras a perder de vista e ainda mantém videiras em terrenos próximos, cujo relevo me fez lembrar o do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul.

Santa Helena: vinhedos a perder de vista

Santa Helena: vinhedos a perder de vista

Bem à frente da imponente sede da vinícola ficam vinhedos plantados noventa anos atrás, dos quais são colhidas uvas cabernet sauvignon que serão a base do rótulo Parras Viejas, ainda não lançado e do qual tive o prazer de provar.

Liguria – Avenida Providencia, 1373, Providencia, próximo à estação do metrô Manuel Montt, http://www.liguria.cl.

Viña Aquitania – http://www.aquitania.cl

Viña Santa Helena – http://www.santahelena.cl

PS: as fotos seguem mais tarde, pois não estou conseguindo postá-las daqui desta lan house de Jericoacoara

PS 2: fotos incluídas às 19h34 do dia 28 de setembro de 2009

 

 

 

 

 

 

Advertisements

2 thoughts on “Santiago parte 1: os vinhos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s