O sul da Bahia, na baixa, é o paraíso

Pelo segundo ano consecutivo viajei ao sul da Bahia, coincidentemente, no terceiro fim de semana do mês de agosto. Enquanto os termômetros em São Paulo marcavam temperaturas de um dígito, nos arredores de Porto Seguro, ao sul e ao norte, à sombra eu tinha uns 27 ou 28 graus. De modo que no sábado e no domingo, mesmo à noite, não precisei dispor da malha que havia colocado na mala, por garantia. Bem, as fotos deste post dão uma ideia de como tem sido o inverno naquele pedaço que vai de Trancoso a Guaiú.

Antes de passar à fotos, o que eu quero mesmo dizer é que esta é a melhor época para viajar a este trecho do litoral baiano, que conheci nos primeiros dias de 1995 e ao qual voltei quase duas dezenas de vezes, em quase todos os meses do ano.

E por que é esta é a melhor época? Aqui vão meus argumentos:

1. Por ser baixa temporada, os preços de passagens aéreas e das pousadas e hotéis são mais em conta. Desconfio que se tivesse ficado em São Paulo, o fim de semana teria me custado a mesma coisa.

Rio Buranhém, balsa entre Porto Seguro e Arraial D'Ajuda, sábado, meio-dia

2. No caso específico das passagens, é um bom momento também para quem adere aos programas de milhagens, já que os tíquetes podem ser emitidos em troca de uma pontuação menor. Em 2010, por exemplo, o bilhete Guarulhos-Porto Seguro-Guarulhos, pela TAM me custou 4.000 pontos. Desta vez, pela Gol, desfiz-me de 3000 milhas mais 250 reais pelos mesmos trechos. O avião decolou de Guarulhos às 22h45 de sexta e às 2 da manhã eu estava no hotel.

Praia do Rio Verde, Trancoso, sábado, por volta das 2 da tarde

3. Nesta época, até mesmo as pousadas e hotéis mais caros reduzem bem o preço das tarifas. O resort Costa Brasilis, por exemplo, tinha quartos a partir de R$ 220,00 a diária (no Booking.com). Como meu voo de volta a SP estava marcado para às 18 horas de domingo, resolvi ficar hospedado em Porto Seguro mesmo. Fui pão-duro, resolvi seguir a dica do Guia Quatro Rodas e hospedei-me no Estalagem Porto Seguro, um hotelzinho que fica num casarão colonial tombado pelo Patrimônio Histórico, numa rua tranquila. Silencioso, o hotel teve apenas três quartos ocupados no fim de semana (contando com o meu). Por cada diária desembolsei R$ 80,00. Fraquinho era apenas o café da manhã mas, convenhamos, por esse preço, eu não poderia exigir muito. Acredite, caro leitor, gastei R$ 6,00 a menos em cada diária em comparação com 2010, quando fiquei duas noites na Pousada Água Marinha, no Arraial D’Ajuda, a 100 passos do mar. 

Praia do Rio Verde, mais uma

4. Os preços nos restaurantes, nos bares e mesmo nas cabanas pé-na-areia também são mais em conta, mesmo lá para os lados de Trancoso.

Praia de Taípe, Arraial D'Ajuda, sábado, 4 da tarde

5. A fila para a balsa entre Porto Seguro e Arraial D’Ajuda e de Santa Cruz Cabrália a Santo André praticamente não existe, o que é um bênção para quem tem pouco tempo. 

Praia de Taípe, Arraial D'Ajuda, sábado, 4 da tarde ( outro lado da praia, só para não deixar dúvidas)

6. Seus ouvidos são poupados de todo tipo de axé music, dança disso e dança daquilo.

Praia de Guaiú, no distrito de Santo André, domingo, 1 da tarde

7. As férias de julho, meia estação, já passaram e os feriados do segundo semestre ainda estão longe. Isso significa uma coisa só: praias vaziinhas da silva, só para você.

Balsa entre Santo André e Santa Cruz Cabrália, domingo, 4 da tarde

8. Por fim, o fato de ser inverno não impede que se desfrute de temperaturas agradáveis tanto na areia quanto no mar. De quebra, um bom mergulho e um pedido de bênção a Iemanjá te fazem voltar a São Paulo com a cabeça zerada.

Leia também:
8 experiências baianas

5 thoughts on “O sul da Bahia, na baixa, é o paraíso

  1. Esse percurso todo, de Porto Seguro até mais ao sul, você fez de carro ou no estilo “roots”, como diz Riq Freire. Quero dizer: de balsa, bugue, a pé…?

    Like

    • Olá, Anna,

      Desta vez aluguei um carro no aeroporto porque cheguei na madrugada de sábado e meu voo de volta estava marcado para as 19 horas do domingo. Mas já camelei muito nas kombis que vão da balsa até o centro do Arraial e Trancoso, e mesmo no ônibus que liga o Arraial a Caraiva. Obrigado pela pergunta e volte sempre ao blog!

      Like

    • Oi Rosãngela, tudo bem?
      Pois é, são duas experiências bem diferentes. Mas cada vez mais venho preferindo a baixa. Volte sempre ao blog!

      Like

  2. Pingback: A dona da praia - Brasil - Boteclando - viajeaqui.com.br

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s