The Queen’s Head, um pub bom e barato

Balcão do Queen's Head Pub / Foto: Mario Rodrigues Jr.

Que eu me lembre, o belo prédio do Centro Brasileiro Britânico (CBB), em Pinheiros, já cedeu espaço aos finados pubs Poet’s Corner — que se instalou apenas no salão fechado no térreo do edifício, no início dos anos 2000 — e Drake’s. Esse último teve vida mais longeva e se manteve em atividade de 2004 a 2011, dividindo-se entre o ambiente interno e uma agradável área na parte externa do CBB.

Depois que o Drake’s encerrou as atividades, o grupo que controla os pubs Kia Ora e All Black decidiu assumir o ponto e abrir ali, no fim de 2011, o The Queen’s Head.

No novo pub, que ocupa apenas o salão interno, chama a atenção a boa relação entre preço e qualidade dos petiscos. Afinal, não há muitos bares nesta cidade em que seja  possível consumir algum petisco que não ultrapasse os dois dígitos, certo?

Tá certo, na real cada uma das porções a seguir — de linguiça de cordeiro com molho de iogurte, de linguiça de porco com uma espécie de vinagrete e de bolinhos de queijo (esta com 8 unidades) — custa R$ 11,00. Mas se você pedi-las em um combinado, o mix sai por R$ 28,00.

Entre as bebidas, ok, os preços seguem mais ou menos o que se vê no mercado: um meio pint das cervejas ales inglesas Old Speckled Hen e London Pride (cerca de 280 mililitros) sai por R$ 9,00. Cada pint, R$ 17,00. Mas há promoções, como a do pint de Heineken que às terças custa R$ 10,00. Ontem não pude, porém, beber a London Pride porque estava em falta desde dias atrás e o importador não havia reabastecido a casa, uma pena.

Ao menos às terças e quartas, dias em que não há música ao vivo — de quinta a sábado bandas tocam rock e a casa cobra entrada de R$ 10,00 a R$ 25,00, dependendo do horário de acesso —, o clima na happy hour é sossegado. Sobram lugares no balcão, algumas mesas ficam vagas e o papo é embalado por uma trilha que contempla Led Zeppelin, Deep Purple, Queen, The Firm e outros nomes do rock britânico. Nada mau.

The Queen’s Head. Rua Tucambira, 163, Centro Brasileiro Britânico, Pinheiros, tel. (11) 3774-3778, http://www.queenshead.com.br.

 

Existem comerciais de cerveja na TV sem bumbum nem alusão à Copa?

Que meus amigos publicitários não me levem a mal, mas nesta época de Copa do Mundo os comerciais de marcas de cerveja na TV ficam muito sem graça. Se no verão só se mostram praias, mulherada de biquíni e sorridentes rapazolas sarados, agora nossa telinha de LCD é inundada por alusões à seleção brasileira, por meio da gasta, manjada e perigosa linha do “pra frente Brasil” – exceção feita, diga-se de passagem, à bem-humorada série da Skol.

Cena do comercial da cerveja holandesa Heineken

Mundo afora deve estar acontecendo a mesma coisa. Ainda assim, o blog fuçou em meio às centenas de vídeos no YouTube e indica alguns links para anúncios de cerveja engraçados (ao menos na opinião do blogueiro):

Carlton Draught Beer

A marca australiana é célebre por suas propagandas bem-humoradas. Um exemplo:

http://www.youtube.com/watch?v=eH3GH7Pn_eA

Tuborg

Esta vem da Dinamarca – tem um argumento insinuante sobre mulheres, mas não exagera na exposição:

http://www.youtube.com/watch?v=L11fQ6-QTIc

Stella Artois

Um antigo comercial de uma das marcas globais da Ambev:

http://www.youtube.com/watch?v=esgT1dpGOZo

Heineken

No ar até pouco tempo atrás, este comercial da marca de origem holandesa gerou filhotes, inclusive na concorrência:

http://www.youtube.com/watch?v=S1ZZreXEqSY&feature=related

Da mesma série do anúncio anterior:

http://www.youtube.com/watch?v=mOvoO6eQDms&feature=related

Bavaria Beer Pilsener

Também produzida na Holanda, a cerveja faz uma sátira do anúncio da concorrente

http://www.youtube.com/watch?v=pcm9oGBrNKA&feature=related