Um voto para a picanha do Fuad

 

Com o início do horário eleitoral gratuito na TV e no rádio, dei-me conta que esta será a primeira eleição sem a presença de Fuad Sallum, mentor do Esquina Grill do Fuad, talvez o boteco mais tradicional da região de Santa Cecília.

Em eleições anteriores, era batata: político que estivesse em campanha e quisesse arranjar uns votos a mais ou fazer uma média com os eleitores da área, tinha de tirar uma foto ao lado de Fuad Sallum, que dirigiu o conselho de segurança do bairro. Estão lá na parede do bar que ocupa a esquina das ruas Martim Francisco e Imaculada Conceição, registros do anfitrião ao lado de representantes da esquerda à direita, de Paulo Maluf a Dilma Rousseff.

Fuad Sallum morreu em 2013 e o bar mantém-se sob comando da família. Na parede central do salão reformado, branquinho da silva, chama atenção a churrasqueira, da qual saem porções generosas de carnes, que acabam por perfumar com cheiro de brasa quem se instala por ali. É por isso que prefiro esperar sempre, no frio ou no calor, por uma das mesas da calçada.

Estive lá algumas semanas atrás, numa tarde de domingo, e comecei pelos pasteis de carne, queijo e palmito (R$ 8,40 a porção com uma unidade de cada sabor). Na dúvida entre  a picanha saralho (servida no réchaud coberta com alho dourado) e o chuletão na brasa, optei pelo plano C, a picanha a la Ronaldo (R$ 67,90). Duas pessoas traçam com tranquilidade o corte servido em fatias, com arroz-de-carreteiro, agrião e um bolinho de mandioca bem gostoso. A carne não é a melhor do mundo, mas a pedida (ao ponto para mal-passado, não se esqueça) tem um ótimo custo-benefício, também por causa dos acompanhamentos.

Esquina Grill do Fuad. Rua Martim Francisco, 244, Santa Cecília, tel. (11) 3666-4493, www.esquinagrill.com.br.

 

 

 

 

Pastelaria Brasileira: salgados roots

pastel

Em tempos de glamurização de tudo — até mesmo do bolovo, que já ganhou por aí a sua versão gourmet… —, foi um alento ter voltado à Pastelaria Brasileira e constatar que, desde minha última visita, um punhado de anos atrás, nada mudou por ali.

Anteontem à noite, antes de ir ao supermercado, parei para comer um pastel nesse endereço que, aberto em 1975, é um dos mais tradicionais da região de Perdizes, em frente ao Bourbon Shopping e uns metros adiante da entrada principal do Palmeiras.

Se na rua, àquela hora, o termômetro marcava uns 26 graus, ali dentro o calor era saariano, graças à ausência de ar-condicionado ou de ventiladores e à intensa produtividade dos tachos, dos quais saem coxinhas, rissoles, bolinhos e pasteis fritos na hora.

Pedi logo o pastel de carne (R$ 4,00), bem recheado, como sempre, e cuja massa não faz feio, mas não chega perto à dos pasteis de feira, onde, convenhamos, até os ruins são bons.

Em vez do caldo de cana de sempre, desta vez pedi uma cerveja. Só tinha Brahma e Original, e fiquei com a segunda (R$ 9,00).

Saí de lá ainda mais convicto de que poucas coisas são mais chiques do que um salgado roots.

Pastelaria Brasileira. Rua Turiaçu, 2113, Perdizes, tel. (11) 3672-8606, http://www.pastelariabrasileiraonline.com.br.