BH + São Paulo = 24 horas de boteco neste sábado

Costelinha com molho de cachaça e rapadura acompanhada de pachá mineiro do Bar do Antônio (Pé-de-cana) / Foto: divulgação

Para falar a verdade nem é assim tão necessário arranjar um motivo especial para passar o sabadão entregue à boemia. Mas o dia de amanhã, 19 de maio, traz duas senhoras festas dedicadas à botecagem, uma em São Paulo, outra em Belo Horizonte – e cada uma delas com 12 horas de duração.

Em Beagá, os 41 botecos participantes da edição 2012 do festival Comida di Buteco – que chega a São Paulo em 1º de junho – vão participar da Festa de Saideira. A partir do meio-dia, eles vão servir os petiscos com os quais concorreram este ano, enquanto rolam os shows de Nando Reis, Monobloco e Aline Calixto. Ali pelo cair da tarde devem ser divulgados os botecos vencedores e seus tira-gostos maravilhosos. Vou faltar à festança desta vez, mas na terça-feira passada, durante um bate-e-volta à cidade, tive tempo de provar o prato de um dos concorrentes, o Bar do Antônio (Pé-de-cana), ali do Sion: uma deliciosa e úmida costelinha de porco assada com molho de cachaça e rapadura, acompanhada de pachá mineiro (queijo-de-minas empanado e frito). Faltou-me apenas uma dosezinha de cachaça para acompanhar – culpa do horário comercial…

Bolinho de bacalhau do Bar do Luiz Fernandes / Foto: Bob Paulino

Aqui em São Paulo, por sua vez, o anfitrião da festança é o Bar do Luiz Fernandes, que completa 42 anos. Dona Idalina e sua equipe devem estar neste momento trabalhando alucinadamente para dar conta de preparar os milhares de bolinhos e demais acepipes que serão servidos às 2.000 pessoas que devem se reunir, a partir das 16 horas, no Moinho Eventos (os ingressos estão esgotados). Além do lançamento do divino (um petisco feito com camarão) e de apresentar um cenário que remete ao Nordeste, em honra ao centenário de Luiz Gonzaga, o evento terá shows de Arlindo Cruz, Reinaldo, Neguinho da Beija-Flor e Dudu Nobre, entre outras 14 atrações divididas em dois palcos.

Menos pela música e mais pelos petiscos e a celebração de 42 anos, sim, eu estarei lá.

Saideira do Comida di Buteco 2012. Largo da Saideira (altura da Avenida Cristiano Machado, 3450, ao lado do Minas Shopping). 12h/0h. R$ 140,00. www.comidadibuteco.com.br.

Bar do Luiz Fernandes – 12 horas de boteco. Moinho Eventos (Rua Borges de Figueiredo, 510, Mooca). 16h/4h. R$ 150,00 (ingressos esgotados). http://www.bardoluizfernandes.com.br.

Menu de tubaínas

Bar Coronel, em São José dos Campos

Chega às bancas neste fim de semana a nova edição anual de VEJA VALE E MONTANHA “Comer & Beber”, que abrange 590 bares, restaurantes e endereços comidinhas das regiões do Vale do Paraíba, da Serra da Mantiqueira e da Serra da Bocaina.

A partir de amanhã, as novidades podem ser conferidas também no site http://www.vejavaleemontanha.com.br. Nesta que é a mais abrangente publicação da série ‘comer & Beber”, da qual sou editor, há casas recém-inauguradas e lugares tradicionais de cidades como Campos do Jordão, Pindamonhangaba e até de São Luís do Paraitinga, que aos poucos vai se reconstruindo.

Entre os vencedores, o Bar Coronel, de São José dos Campos, fatura mais uma vez o prêmio de melhor boteco e leva também o de melhor cozinha. Instalado em uma esquina de frente para o cemitério, esse botecaço tem um balcão de petiscos sensacional. Lembro-me especialmente dos embutidos e dos queijos, do bom chope e, sobretudo, da alma interiorana que seu ambiente carrega. É um dos grandes exemplares do gênero.

Em pleno bairro da Consolação, a uns 70 passos de casa e a três quarteirões da Avenida Paulista, o Tubaína presta meio que uma homenagem ao interior de São Paulo, tanto no cardápio quanto na carta de tubaínas.

Bar Tubaína, na Consolação

Você leu certo, o bar, que foi inaugurado em setembro de 2009, tem uma carta com cerca de quinze rótulos de tubaína! Nessa lista estão a Cotuba, fabricada em Tanabi, a Etubaína Orlando, de Piracicaba e a Gengibirra Limongi, de Rio das Pedras.

Atire a primeira tampinha quem nunca pediu a avó uns trocados para comprar uma Baré Cola ou uma Simba Limão! Se eu não estiver enganado, lembro que, num tempo em que não havia garrafas PET, esses refrigerantes eram vendidos em vasilhames de cerveja. Tinham, portanto, o dobro de capacidade das garrafas dos outros e custavam bem menos que uma Coca-Cola.

De Ribeirão Preto vem o chope Colorado, muito bom, especialmente o Appia, de trigo (R$ 6,50). Para acompanhar, vale pedir um sanduba (mandei ver num de pernil temperado com o shoyu, muito bom).

Para paladares mais infantis, que tal combinar uma porção de mandiopã com uma Soda Limonada Guarany?

Bar Coronel. Rua Francisco Rafael, 298, centro, tel. (12) 3921-3141, São José dos Campos, www.barcoronel.com.br.

Tubaína. Rua Haddock Lobo, 74, Consolação, tel. 3129-4930, Consolação, São Paulo.