Um breve balanço da primeira semana de 2011

Le Jazz / Foto: Cida Souza

Aos poucos, os bares e restaurantes da cidade vão retomando suas atividades após a merecida pausa de fim de ano. De quarta à noite ao almoço de hoje, passei por três lugares. Aqui vão minhas primeiras impressões gastronômicas de 2011:

Seu Domingos (Rua Fidalga, 289, Vila Madalena), quarta-feira à noite: este bar, inaugurado no finzinho de 2010, pertence ao empresário Flavio Pires, que legou à Vila Madalena endereços lendários como o Santa Casa e o Quitandinha, que passa por bom momento. Já a nova casa, aberta na esquina das ruas Fidalga e Aspicuelta, ainda não decolou. Tomei algumas garrafas de Serramalte (R$ 7,00) e provei proções absolutamente triviais, como a dos massudos bolinhos de arroz com gorgonzola e a de linguiça na chapa.

Così (Rua Barão de Tatuí, 302, Santa Cecília, http://www.restaurantecosi.com.br), jantar de quinta-feira: coincidentemente, decidi passar por lá justamente no dia em que o restaurante estava reabrindo. Notei que os preços subiram, em comparação com a visita mais recente, se não me engano em outubro. O polpettone está melhor do que antes. Já o agnolotti de cordeiro pareceu-me pesado demais. Ainda hoje pela manhã eu conversava com o prato.

Le Jazz (Rua dos Pinheiros, 254, Pinheiros, http://www.lejazz.com.br), almoço de hoje: salão incrivelmente cheio na primeira sexta-feira do ano – ainda bem que meu amigo havia feito reserva. Cheguei ávido para provar a porção de moulles et frites (mexilhão com batata frita), mas o garçom disse que só estaria disponível para o jantar. Tudo bem, a bisteca de porco com molho de cogumelos, brócolis e purê de batata recompensou.

E hoje à noite, o que vai ser?